Parlamentares criticaram, na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, duramente o fato de o Governo de Minas apresentar como única solução para os problemas financeiros do Estado a adesão ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF) proposto pelo governo federal, que impõe uma série de restrições &agra ve; administração estadual. Além disso, na opinião de alguns deputados, a proposta não oferece uma contrapartida adequada e não vai contribuir para solucionar os problemas econômicos e sociais. As questões foram levantadas na primeira reunião do Assembleia Fiscaliza, realizada nessa segunda-feira, 10, com a presença do secretário de Estado de Governo, Custódio de Mattos.

As rodadas de reuniões a serem realizadas pela Assembleia Legislativa, até o dia 19 de junho, são resultado da aprovação, em março deste ano, da Emenda Constitucional 99, de 2019. A norma prevê a convocação dos secretários e dos principais dirigentes de estatais e outros órgãos do Estado a cada quatro meses para prestar contas de sua gestão aos parlamentares. Este primeiro encontro foi conduzido pelos membros das Comissões de Constituição e Justiça, de Administração Pública e de Participação Popular.