A possibilidade de desabastecimento de água em cidades mineiras, entre as quais Belo Horizonte e Montes Claros, foi um dos pontos tratados na reunião do Assembleia Finaliza realizada com a Copasa e a Copanor, nessa segunda-feira, 10, na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

Questionada pelo deputado Carlos Pimenta, do PDT, sobre denúncias de presença de agrotóxico na água ofertada em Montes Claros e outras cidades, a presidenta da Copasa, Sinara Chenna, informou que a companhia monitora a qualidade, mas está também contratando uma análise independente com o olhar específico para o agrotóxico. “A Copasa não divulgou as providências.

A população está apreensiva”, pontuou o parlamentar. Já o deputado Gustavo Santana, do PL, cobrou ação urgente em Pedra Azul (Vale do Jequitinhonha), onde, segundo ele, a situação é crítica. Sinara confirmou que a captação na cidade secou e que a companhia, que tem a responsabilidade de encontrar a solução, está buscando fontes alternativas.