Participantes de audiência pública na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) denunciaram, nessa terça-feira, 9, uma tentativa de desmonte do Banco do Nordeste do Brasil (BNB). A instituição foi criada há 67 anos para atuar no desenvolvimento dessa região do País. O assunto foi debatido pela Comissão de Desenvolvimento de Econômico, por solicitação da deputada Leninha e do deputado Virgílio Guimarães, ambos do PT. 

A diretora-presidenta da Associação dos Funcionários do Banco do Nordeste do Brasil (AFBNB), Rita Josina Feitosa da Silva, enumerou uma série de propostas em discussão no Congresso Nacional que inviabilizariam o banco e seu objetivo de estruturar e consolidar arranjos produtivos. 

Algumas delas visam remanejar recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), que, conforme relatou Rita Josina, são utilizados pelo banco no fomento a áreas como educação e segurança pública. Outras buscam ampliar a área atendida pela instituição, para reduzir sua taxa de administração e ampliar os juros. 

Também está em pauta uma resolução do Senado que pode culminar na apresentação de projeto que permite que uma parcela de no máximo 20% dos recursos do FNE e também do Fundo de Financiamento no Norte (FNO) seja emprestada aos estados para financiarem investimentos em infraestrutura.