Embora tenha reforçado sua representação política na Assembleia Legislativa e na Câmara dos Deputados, nas eleições do ano passado, o Norte de Minas não vem recebendo o tratamento de que necessita, do governo estadual e federal. Por aqui, é preciso ter alguma paciência e esperar a situação financeira melhorar, já que o governador Romeu Zema, do Novo, recebeu o Estado quase à beira da falência com dívidas astronômicas que ele vai pagando aos poucos, de acordo com sua disponibilidade de caixa. 

Apesar da falta de recursos para investir, o Estado pode atender um outro pedido pontual, apresentado pela Bancada do Norte na Assembleia Legislativa, que se mantém atenta, visando a defender os interesses da região. Por enquanto, o colegiado, coordenado pelo jovem deputado Tadeu Martins Leite, do MDB, deixa o governador mais ou menos à vontade, mas não hesitará em pressioná-lo a partir de agora, em busca de ações mais concretas de combate aos efeitos da seca, que atinge sua fase mais crítica todo ano, no segundo semestre.